14/01/2017 às 12h05min - Atualizada em 14/01/2017 às 12h05min

6º edição de Pit Stop de carros antigos deve reunir mais de 100 colecionadores

Possante, Caranga, Máquina, Filhão, Feroz, Robusto, Belezura, Danada, Fordoza e por aí vai!

A lista de nomes que donos de carros antigos dão para os veículos, é extensa demais para esse singelo texto, que na verdade, é um convite. Se tem uma coisa que o brasileiro gosta tanto quanto futebol e churrasco, é carro!

Uma das últimas pesquisas do segmento, divulgadas pelo IBOPE, aponta que os carros estão entre as dez paixões do público.

[caption id="attachment_6918" align="alignleft" width="300"]
Miguel Farias[/caption]

Em Uberaba, não é muito diferente. O gosto pelos modelos de antigamente foi o combustível para que o empresário do setor de peças automotivas, Miguel Farias, criasse um evento especialmente para reunir os fãs dessas relíquias. “Tínhamos uma feira na cidade em um Parque de Exposições, mas custava caro, a criação do Pit Stop na rua mesmo, graças ao apoio da prefeitura, que nos libera o estacionamento em 45 graus ao longo da avenida Coronel Joaquim de Oliveira Prata, possibilitou reunir os colecionadores, catalogar os nomes, e ainda trocar experiências”.

Ano passado, o empresário se deu ao luxo de realizar um sonho: comprou um Fusca para relembrar o carro em que aprendeu a dirigir e tirou a carteira de habilitação aos 19 anos. “Ando mais no fusca que no outro carro; tenho um primo que é padre e ele também tem um Fusca chamado Agripino, eu estava em dúvida sobre qual nome daria ao meu, daí colei um adesivo que faz referência a minha cidade natal, Bambuí, e meu fusca foi batizado de Tem Base?”, conta Miguel. Aliás, o Fusca é mesmo campeão quando a intenção é ter um clássico na garagem. Na última edição do evento foram 27 Fuscas em exposição.

Esse ano, a 6º edição do encontro tem um diferencial com a oportunidade de fechar negócio. Colecionador não gosta muito de colocar preço nos modelos, mas o Pit Stop pode ser uma vitrine para quem pretende aumentar a coleção.

[caption id="attachment_6919" align="alignleft" width="300"]
Márcio Borges e "Elza"[/caption]

Falando nisso, o empresário Márcio Borges não sossegou enquanto não conseguiu comprar o Canário,um Ford Galaxie 79. “Eu vivia paquerando o carro, passava na Carangola (avenida Orlando Rodrigues da Cunha, no bairro Abadia) 50 vezes, e 50 vezes olhava o Galaxie; foram doze anos até conseguir comprar em 2014, paguei R$40 mil, hoje não vendo por nada”.

Em casa, Márcio também guarda com zelo a Elza,uma Opala 72, que ganhou de presente da mãe.  O carro foi todo reformado pela bagatela de R$ 23 mil.  Tá aí, coisas que só uma mãe faz por um filho!

O colecionador até pretende  exibir mais modelos, mas fazer a coleção crescer, depende também de aumentar a garagem. “Minha mulher já está brava, porque tirei o carro dela, para guardar os meus, se eu continuar, perigoso é ela me expulsar”, brincou. História de colecionador é semelhante as de pescador, vai longe. Mas em vez de peixes, ostentam joias com quatro rodas e motores.

Quer ouvir o ronco dessas raridades? Faz um Pit Stop na avenida Coronel Joaquim de Oliveira Prata, 574, no dia 28 deste mês. Das 8h as 12h, além do café e da prosa, você poderá ver de perto os veteranos que continuam conquistando gerações.  O evento é gratuito e as inscrições de colecionadores são feitas no local.

E antes que eu me esqueça: ai, de quem se atrever a chamar de velho, o antigomobilismo!


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://uberabapopular.com.br/.
Plantão
Atendimento
Envie a sua sugestão de notícia pelo PLANTÂO.