09/01/2017 às 19h34min - Atualizada em 09/01/2017 às 19h34min

Mercado da sujeira: falta gente para limpar e sobra para sujar

O Mercado Municipal foi inaugurado na Praça Manoel Terra em 1924. Em 92 anos de história, a estrutura em quase nada foi modificada. Em 2006, ano da última reforma, os banheiros foram adaptados para deficientes, pintaram o prédio e limparam o piso.

Lojista de um dos 46 boxes prefere o anonimato, mas reclama que o local está sujo, empoeirado e abandonado. “O que todos nós queremos é que seja feita a limpeza do local. O coordenador até trabalha e luta bastante para manter tudo limpo, mas falta funcionário e, nesse caso, nada pode ser feito. A impressão que dá é que o poder público não se interessa pelo Mercado".

No último andar, onde ficam expostos os artesanatos, o problema é ainda mais perceptível. Segundo ela, são os próprios funcionários dos boxes que contribuem para que a sujeira nunca acabe. “Ficam aqui na hora do almoço, comem e fumam. O problema é que, ao invés de procurar um lugar para descartar a guimba de cigarro, jogam por cima dos telhados dos boxes. Além de feder e fazer o local ficar feio, isso pode trazer sérios riscos, visto que pode queimar os fios e até mesmo causar um incêndio de grandes proporções, ” alerta.

Outro permissionário diz que deveria ter mais pessoas para ajudar a cuidar e limpar. No telhado é possível ver, além das inúmeras guimbas, sacolas, embalagens, maços de cigarros, caixas de papelão e lata de cerveja. O Mercado Municipal recebe em média de 4 a 5 mil turistas de diversas cidades do país por semana.

O coordenador do Mercado, Eurípedes Filho, confirma as reclamações dos lojistas e acrescenta que os funcionários não ajudam a cuidar e isso foge do seu controle. “É muito difícil porque estamos lidando com adultos. São pessoas que sabem que estão fazendo errado e mesmo assim continuam. Os turistas ficam andando aqui de um lado para outro com o lixo na mão procurando um lugar para descartar, enquanto os daqui não ajudam".

Eurípedes informou ainda que o número de funcionários é insuficiente para realizar a limpeza do local e acredita que, devido ao concurso público, a Prefeitura de Uberaba deverá aumentar a quantidade de servidores no local.

Em nota, a PMU informou que a Secretaria de Desenvolvimento do Agronegócio está fazendo todos os remanejamentos necessários para atender a comunidade de forma a causar o menor impacto possível neste momento de transição onde ocorre algumas reposições pontuais. Quanto ao chamamento do concurso público, as convocações estão em curso, sendo muitas vezes necessário respeitar os prazos legais para eventuais desistências, entrega de documentação, dentre outras questões, mas de todo modo a Sagri está atenta às demandas do Mercado Municipal.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://uberabapopular.com.br/.
Plantão
Atendimento
Envie a sua sugestão de notícia pelo PLANTÂO.