06/01/2017 às 15h55min - Atualizada em 06/01/2017 às 15h55min

ABCZ publica nota de repúdio contra enredo de escola de samba

[caption id="attachment_6430" align="alignleft" width="212"]
Doenças e pragas[/caption]

A Associação Brasileira dos Criadores de Zebu (ABCZ) publicou, na tarde desta sexta-feira (6), uma nota de repúdio contra o samba-enredo e as peças publicitárias da escola Imperatriz Leopoldinense, para o Desfile de Carnaval de 2017. O samba-enredo deste ano criticará o agronegócio.

Além da letra com a crítica à agropecuária, setor responsável por 22% do Produto Interno Bruto (PIB) Nacional, a escola de samba carioca terá alas com nomes como “Doenças e Pragas”, “Fazendeiros e Agronegócios” e “Chora Verde”. A letra tinha como objetivo principal enaltecer os índios da tribo Xingu mas acabou emitindo críticas aos “destroem a natureza”.

A nota publicada pela assessoria da ABCZ, “repudia, com indignação e veemência, o samba-enredo e as demais peças publicitárias divulgadas pela escola Imperatriz Leopoldinense [...] ao criticar duramente o agronegócio, o grupo mostra total despreparo e ignorância quanto à história brasileira e à realidade econômica e social do país”, diz trecho da nota.

A publicação ainda clama ser “inaceitável que a maior festa popular brasileira seja palco para um show de sensacionalismo e ataques infundados pela Escola Imperatriz Leopoldinense”.

[caption id="attachment_6429" align="alignleft" width="212"]
Fazendeiros e seus agrotóxicos[/caption]

Repercussão. Na página do Facebook da Imperatriz, internautas criticaram o tema do samba-enredo deste ano.  “Como tens coragem de criticar o setor agrícola, este responsável pelo maior pib nacional! Responsável pelo maior conservadorismo de appse reservas, responsável por colocar alimento em sua mesa, vestir a sua roupa, vergonha, vergonha, vergonha”, comenta um internauta.

A reportagem do Uberaba Popular entrou em contato com a assessoria da Imperatriz Leopoldinense, que informou que “por orientação e decisão da presidência do G.R.E.S.  Imperatriz Leopoldinense não irá se manifestar a respeito”.

Veja a nota da ABCZ na íntegra:

[caption id="attachment_6431" align="alignleft" width="300"]
Internautas comentam sobre samba-enredo na página da escola de samba carioca[/caption]

A Associação Brasileira dos Criadores de Zebu (ABCZ) repudia, com indignação e veemência o samba-enredo e as demais peças publicitárias divulgados pela escola Imperatriz Leopoldinense para o Desfile de Carnaval de 2017. Ao criticar duramente o agronegócio, o grupo mostra total despreparo e ignorância quanto à história brasileira e à realidade econômica e social do país.

Antes de mais nada, é preciso esclarecer e reforçar que o país do samba é sustentado pela pecuária e pela agricultura. Chamados de “monstros” pela escola, nós, produtores rurais, respondemos por 22% do PIB Nacional e, historicamente, salvamos o Brasil em termos de geração de renda e empregos. Com o tempo e com o nosso talento de produzir cada vez mais – e de forma sustentável - trouxemos para nossa nação o título de campeã mundial de produção de grãos e de proteína animal.

Inaceitável que a maior festa popular brasileira, que tem a admiração e o respeito da nossa classe, seja palco para um show de sensacionalismo e ataques infundados pela Escola Imperatriz Leopoldinense. O setor produtivo e a sociedade não podem ficar calados diante a essa injustiça. É preciso que o Brasil e os brasileiros não só enxerguem e reconheçam a importância do nosso setor, como se orgulhem dessa nossa vocação de alimentar o mundo.

Com a responsabilidade que lhe cabe, a ABCZ vem a público reforçar o compromisso de seus 21 mil associados de produzir cada vez mais carne e leite com práticas sustentáveis e seguras. E, assim, enaltecemos, também, o nosso empenho em zelar pela preservação do meio ambiente.

Se você se alimentou hoje, agradeça a um produtor rural.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://uberabapopular.com.br/.
Plantão
Atendimento
Envie a sua sugestão de notícia pelo PLANTÂO.