04/12/2016 às 12h38min - Atualizada em 04/12/2016 às 12h38min

Movimentos voltam às ruas contra a corrupção

Uma programação nacional de manifestações contra a corrupção foi organizada neste domingo (4). Atos foram confirmados em, pelo menos, duzentas cidades em todo o país. Em uma onda de protesto contra o projeto de anistia ao caixa dois e as mudanças no pacote anticorrupção proposto pelo Ministério Público, além de cobrar a continuidade das investigações da Operação Lava-Jato.

Em Uberaba, muita gente participou da manifestação no Mercado Municipal com bandeiras, faixas e palavras de ordem. Manifestantes chamavam a atenção dos motoristas que circulavam pela av. Leopoldino de Oliveira.

Um dos organizadores do movimento, Maurício Ferreira, fala que a luta é contra a corrupção e contra o cooperativismo que está sendo implantado pelos deputados federais. “Nosso movimento nasceu da ansiedade da população e está aberto a qualquer pessoa que queira participar. Medidas que serviriam para proteger a Lava-jato para proteger o trabalho dos promotores federais. Queremos gritar sobre isso. Para fazer o senado federal entender o que os deputados fizeram para o senado não aprovar”.

 O empresário José Humberto Goulart vê as manifestações como uma forma de resistência da população. “Eu levantei cedo hoje, simplesmente, para participar deste movimento. Eu quero tirar esses políticos corruptos do poder e acho que devemos demonstrar a força da população”.

A médica Maria Alice Rezende de Souza disse que está indignada com a corrupção. “Essa alteração nas dez medidas anticorrupção é uma medida que eles estão criando para se proteger dos seus atos ilícitos. Queremos que eles sejam presos. Quem roubou tem que ser punido”.

Para o procurador da República, Talles Cardoso, a alteração das medidas na calada da noite, num dia de luto, foi um ato desesperado de autoproteção e falta de sensibilidade por parte da câmara dos deputados. “O sucesso da lava-jato está incomodando muitos políticos. A ação deles é uma retaliação ao trabalho dos envolvidos na apuração dos desvios de dinheiro público. Então nós nos perguntamos, a quem interessa este tipo de retaliação? Nós só podemos concluir que quem está encabeçando isso tem algo a esconder, tem algo a temer. Estamos aqui porque a sociedade está farta deste tipo de situação.”

A promotora de justiça Estadual, Miralda Dias Dourado, as medidas aprovadas vão cercear o trabalho do Ministério Público no país. É preciso que todos se unam para evitar que isso aconteça. “Eu acredito que é extremamente importante para população se unir para dar este apoio aos juízes, promotores e para todo Ministério Público. Devemos mostrar que a população nos apoia e quer que o MP tenha liberdade de investigar”.

 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://uberabapopular.com.br/.
Plantão
Atendimento
Envie a sua sugestão de notícia pelo PLANTÂO.