24/11/2016 às 14h04min - Atualizada em 24/11/2016 às 14h04min

Casamentos de pessoas do mesmo sexo tem alta de 125%

Segundo dados das Estatísticas do Registro Civil 2015, divulgado nesta quinta-feira (24), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o crescimento percentual de casamentos entre pessoas do mesmo sexo foi quase cinco vezes maior do que entre homens e mulheres em 2015.

As uniões entre cônjuges de sexos diferentes aumentaram 2,7%, enquanto as entre cônjuges do mesmo sexo aumentaram 15,7%, representando 0,5% do total de casamentos registrados. Em 2013, o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) aprovou a Resolução 175 que determina que todos os cartórios habilitem ou celebrem casamento civil e conversão da união estável em casamento entre pessoas de mesmo sexo. [caption id="attachment_4420" align="alignleft" width="280"]
Odair e Renato estão casados há quatro anos.

Odair e Renato estão casados há quatro anos.

Odair e Renato estão casados há quatro anos.[/caption]

Os dados apontados pela pesquisa não surpreenderam o cabeleireiro Odair Thomás da Silva, casado, há quatro anos, com o Babalorixá Renato Araújo. Este resultado mostra uma mudança  de paradigma.  Os casais que tem uma união duradoura estão preocupados com o futuro. “Eu me casei por amor, mas também para garantir os meus direitos e do meu companheiro perante a lei. Nós já construímos uma vida em comum compramos casa, carro. Como em qualquer outro casamento, estamos pensando no futuro. Primeiro nós fizemos a união estável de bens, depois nós nos casamos. Na perda de um ou de outro, a agente tem os direitos garantidos e não teremos que nos preocupar com problemas futuros. Foi uma conquista maravilhosa. É claro que, também há casos de pessoas que não tem este perfil de relacionamento, casam e se separam em pouco mais de seis meses".

O IBGE local informou que, em 2015, foram realizadas 9 uniões homoafetivas. Alta de 125% em relação a 2014, que fechou com 4 matrimônios.

A mesma pesquisa  apontou uma queda no número de divórcios no país, aumento dos casos de guarda compartilhada e do número de mulheres que optaram pela maternidade tardia.

Divórcios Com relação aos divórcios, em 2015, houve queda no registro de divórcios concedidos em primeira instância ou por escrituras extrajudiciais, passando de 341.181, em 2014, para 329.025 divórcios. O homem tem em média 43 anos enquanto a mulher tem 40 anos quando se divorcia no Brasil.

Guarda compartilhada aumenta Já a guarda compartilhada cresceu de 7,5%, em 2014, para 12,9% em 2015. Esse tipo de guarda somente passou a ser a regra em 2014, com a Lei 13.058.

Mães mais tarde Ainda segundo o estudo, as mulheres estão sendo mães mais tarde. Em 2005, quase um terço (30,9%) dos nascimentos eram de mães de 20 a 24 anos. Em 2015, esse percentual foi para 25,14%. No mesmo período, houve aumento da participação dos nascimentos de mães com 30 e 34 anos (20,3%) e 35 a 39 anos (10,5%), em 2015.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://uberabapopular.com.br/.
Plantão
Atendimento
Envie a sua sugestão de notícia pelo PLANTÂO.