18/11/2016 às 07h14min - Atualizada em 18/11/2016 às 07h14min

Audiência Pública é marcada por reivindicações de lojistas

Audiência Pública, realizada na noite de quinta-feira (17) no plenário da Câmara, que debateu a revitalização do centro da cidade, abriu espaço por uma série de reivindicação dos lojistas. Todas os pontos abordados serão analisados pela Prefeitura de Uberaba.

De autoria do vereador Kaká Carneiro (PR), o debate contou com o vereador Franco Cartafina (PHS), também autor da iniciativa e ainda no vereador eleito Cleomar Barbeirinho (PHS). Estiveram presentes o presidente do CentroForte, Fabio Lopes, o gerente executivo do Sindicomércio, Thiago Árabe, o presidente do CDL, Fúlvio Ferreira e os conselheiros da Aciu, Márcio Elísio e Vitor Aragão. O prefeito Paulo Piau (PMDB) foi representado pelo secretário de Planejamento Marcondes Nunes de Freitas e do chefe do Departamento de Posturas, Renê Inácio de Freitas.

O Mestre em Arquitetura e Urbanismo, Leonardo José Silveira, apresentou estudo científico, mostrando elementos para manter a vitalidade do centro, destacando lazer, ocupação, iluminação e políticas de revitalização. Já o presidente do Centro Forte, Fabio Lopes, destacou a importância da revitalização, para que a rua Arthur Machado se torne um “Open Mall”, ou seja, um “shopping a céu aberto”, com foco na iluminação, mobilidade urbana e adequação nos imóveis históricos. De acordo com ele, a Prefeitura de Uberaba deve dar início à revitalização para que em seguida, os lojistas façam sua parte, alterando as fachadas das lojas. “A iniciativa deve partir do Poder Público. Precisamos tirar o projeto do papel”, afirmou.

Para Fulvio Ferreira, os comerciantes devem fazer a sua parte. “É compromisso nosso fazermos a própria revitalização”, disse o presidente da CDL.

O secretário de Planejamento preferiu ouvir as demandas antes de se posicionar e até de apresentar o projeto de revitalização do Calçadão e de toda rua Arthur Machado. “Vamos primeiro ouvir os comerciantes para depois adequar nosso projeto e apresentá-lo aos lojistas. O que faltava era essa ligação entre o Poder Público e os comerciantes. Precisamos unir forças”, disse Marcondes. No entanto, o secretário adiantou que a proposta é inspirada em outras cidades e inclui, por exemplo, piso diferenciado ao longo da via.

O ponto alto da audiência pública foram as colocações dos próprios lojistas, que “desabafaram” sobre os problemas vividos no comercio na região central de Uberaba. “Pedindo socorro”, disse um deles.  Um dos maiores problemas citado foi a falta do estacionamento rotativo. Segundo informações colocadas no debate, funcionários e os próprios comerciantes ocupam as vagas existente ao longo de todo o dia. Vagas que deveriam ser de clientes.

Um lojista se queixou da falta de apoio da Prefeitura de Uberaba, principalmente no que tange a decoração de natal. “Conseguimos verba própria para a decoração natalina para a rua Arthur Machado mas nos foi negado o fornecimento da energia elétrica”, lamentou.

Outro comerciante se queixou da falta de fiscalização no Calçadão, principalmente dos ambulantes que atuam na informalidade.  “Pagamos nossos impostos e não temos como transitar naquele Calçadão, com tantos ambulantes”, disse. O local também foi criticado pela sujeira, falta de cuidado, danificação do piso e poluição visual. “Já estamos pensando em fazer um mutirão de comerciantes para lavar o Calçadão”, acrescentou.

Houve ainda quem falasse sobre todos os problemas vividos pelo comerciante da área central com as enchentes e consequentemente o projeto Agua Viva e o próprio BRT. “Agora chegou a nossa vez de sermos recompensados com a revitalização”.

Também foram apresentadas sugestões como por exemplo, estacionamento adequado para motocicletas; presença constante de fiscais do Setor de Posturas e da Guarda Municipal, principalmente no Calçadão; cadastro dos ambulantes que atuam no Calçadão; coleta de lixo apropriada e estacionamento dos dois lados da rua Arthur Machado.

Representante do Sindicomércio, Thiago Árabe, se colocou à disposição para debater a possibilidade de alteração do horário do comércio, ampliando-o em mais uma hora. Ele também lamentou a ausência de outros vereadores na audiência pública, lembrando apenas que os mais jovens – Kaká e Franco – participaram e ainda o eleito Cleomar Barbeirinho. “Era necessário que todos vereadores se engajassem nesta discussão”.

O chefe do Departamento de Posturas afirmou a dificuldade de fazer uma abordagem no Calçadão, lembrando a possibilidade de confronto entre ambulantes e fiscais e a necessidade de manter a integridade física das partes. “Temos que tomar cuidado nestas ações. Sozinhos não conseguimos agir. E além de tudo, precisamos de suporte para garantir nossa integridade física. Sem apoio é impossivel”.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://uberabapopular.com.br/.
Plantão
Atendimento
Envie a sua sugestão de notícia pelo PLANTÂO.