11/04/2022 às 17h02min - Atualizada em 11/04/2022 às 17h02min

Zema alerta para ‘fake news’ ao reiterar veto a reajuste de servidores

O governador reforçou o posicionamento do Palácio Tiradentes em um dos principais impasses entre o Executivo e a Educação

O Tempo

O governador Romeu Zema (Novo) alertou para eventuais “fake news” ao reforçar o veto à concessão de índices de recomposição salarial superiores aos 10,06% propostos. Zema foi às redes sociais, nesta segunda-feira (11), para criticar quem “só se interessa por votos”. Apesar de admitir que seria vantajoso eleitoralmente conceder aumento real às categorias do funcionalismo, o governador reforçou que o Estado pode apenas conceder 10,06% de revisão salarial conforme a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).

De acordo com Zema, os servidores públicos estaduais merecem respeito, o que, conforme acrescenta, começaria por dizer a verdade, “sem mentiras ou ilusão”. “Por isso, prefiro ter pulso firme, sendo responsável com o futuro, do que voltar ao desequilíbrio do passado que nos afundou em dívidas e falta de serviços para os mineiros. O reajuste de 10% é hoje o limite que o Estado consegue pagar a todos os 600 mil servidores, ativos e inativos, e terá impacto de R$ 5 bilhões por ano nas contas de Minas”, afirmou o governador.

Zema ainda criticou a greve dos trabalhadores da Educação, que foi deflagrada pela categoria ainda em 8 de março para reivindicar a aplicação do reajuste de 33,24% do reajuste do piso salarial nacional da educação básica. “Cabe destacar que após dois anos de pandemia, com aulas não presenciais na maior parte desse tempo, é irresponsável que sindicatos fomentem greves justamente no momento de retomada do ensino da rede pública estadual”, apontou o chefe do Executivo.  

Inclusive, o governador reforçou o posicionamento do Palácio Tiradentes em um dos principais impasses entre o Executivo e a Educação. Zema voltou a defender que o Estado cumpre o piso salarial nacinal. “Aqui (Minas), o salário base inicial para o cargo de 24h é R$ 2.135. Enquanto o piso estabelecido até 2021, equivalente a 24h, seria de R$ 1.731. Com o aumento de 10% a todos os servidores de Minas, o inicial dos professores passará a R$ 2.350, ainda superior ao piso nacional, que em fevereiro foi reajustado em 33%. Na proporcionalidade de 24h, o piso nacional foi pra R$ 2.307”, argumentou.

Zema enfatizou que os vencimentos do funcionalismo voltaram a ser quitados em dia, assim como que as férias-prêmio atrasadas foram regularizadas. “Porém, nosso Estado ainda tem uma enorme dívida e hoje respeita a LRF”, pontuou o governador. “Prefiro ser julgado nas urnas pela firmeza com os recursos de todos os mineiros pagadores de impostos, do que nos tribunais pela irresponsabilidade que foi marca do governo passado e que estamos até hoje pagando”, concluiu.

Sobre o reajuste dos servidores públicos de Minas e o piso da educação, é preciso esclarecer algumas coisas:

Cuidado com as fake news daqueles que só se interessam por votos. Os servidores públicos merecem respeito, que começa por dizer a verdade, sem mentiras ou ilusão.

Link
Notícias Relacionadas »
Plantão
Atendimento
Envie a sua sugestão de notícia pelo PLANTÂO.