03/01/2022 às 16h42min - Atualizada em 04/01/2022 às 18h42min

Dono de trailer de sanduíches é alvo de ameaças após fake news

Vídeo compartilhado na internet afirmava que dono de lanchonete usava carne de cachorro no preparo dos alimentos

Foto: Reprodução RecordTV Minas
Um vídeo em que um cordeiro aparece sendo desossado pelo comerciante Igor Luciano Alves circulou nas redes sociais de forma equivocada. Internautas compartilharam o vídeo afirmando que o animal era um cachorro e que a carne estaria sendo utilizada no preparo dos sanduíches vendidos no trailer de Igor. O caso aconteceu em Pedro Leopoldo, região metropolitana de Belo Horizonte.

Além de comerciante, Igor é açougueiro e foi contratado por um criador de cordeiros para descanar os animais, na semana do Natal. Para divulgar o trabalho, o açougueiro filmou as atividades e compartilhou nas redes sociais.

Após a manipulação do vídeo e a disseminação da acusação de que os donos da lanchonete matavam os cachorros para preparar os lanches comercializados. Além dos julgamentos da população local, a família de Alves tem sofrido bullying e até ameaças de linchamento e morte. Técnicos da Vigilância Sanitária fiscalizaram a lanchonete e não encontraram irregularidades.

O caso está sendo investigado pela polícia e as duas pessoas envolvidas poderão responder criminalmente por calúnia, difamação e injúria com pedido de indenização por danos morais e materiais.

Disseminar notícias falsas é crime e existem ferramentas que garantem a proteção de dados e a segurança dos internautas. Segundo o advogado, Paulo Emílio Derenusson a Legislação Brasileira tem sofrido mudanças para se adequar ao atual cenário. “Tudo passa pela internet, mas é preciso entender que não é uma terra sem lei. Tudo o que fazemos nas redes sociais pode ser rastreado. Devemos lembrar que, levando em consideração a rapidez com que uma falsa notícia alcança milhares e milhares de pessoas em todo o mundo, o prejuízo pode ser muito grande para as vítimas e a punição precisa ser aplicada.

O Projeto de Lei nº 2630/2020 do Senado Federal institui a Lei Brasileira de Liberdade, Responsabilidade e transparência na Internet foi aprovado no Senado Federal e seguiu para a Câmara dos Deputados onde vem sendo discutido há quase dois anos.  
 
O que fazer?
  1. Antes de compartilhar uma notícia, certifique-se quanto à veracidade da informação. Na dúvida, não compartilhe.
  2. Se for a vítima de uma notícia falsa, procure a polícia e registre um Boletim de Ocorrência e acione a justiça para investigar os responsáveis e processá-los civil e criminalmente.

Link
Notícias Relacionadas »
Plantão
Atendimento
Envie a sua sugestão de notícia pelo PLANTÂO.