10/06/2020 às 18h18min - Atualizada em 10/06/2020 às 18h18min

Documentário sobre Antônio Carlos Marques será lançado no dia 15 de junho

O material é resultado de um trabalho dos alunos do 7º período de Jornalismo da Universidade de Uberaba

O videodocumentário 'Ouro Negro' reconstrói a história de vida e contribuição cultural do professor Antonio Carlos Marques, presidente da Fundação Cultural de Uberaba entre 2016 e 2019. No aniversário de um ano da morte do professor, dia 15 de junho, na próxima segunda-feira, o documentário será oficialmente lançado no YouTube da Fundação Cultural de Uberaba, às 18h. O audiovisual foi produzido no segundo semestre de 2019 e é resultado de um trabalho dos alunos do 7º período de Jornalismo da Universidade de Uberaba. 'Ouro Negro' tem direção e roteiro de Diandra Tomaz e produção de Pâmela Rita, Pedro Henrique Marino e Vitória Oliveira.

O documentário tem narração de Eustáquio Rocha e traz depoimentos de pessoas que fizeram parte da vida de Antonio Carlos, entre elas, Cairo Damasceno (rapper Toi), professor Décio Bragança, Elisabete Cardoso, historiadora Maria Aparecida Manzan, cantor e compositor Nei Lopes, a esposa Élita Ribela e a filha Thaynara Ribela. O site oficial também será lançado na data e pode ser acessado pelo link https://docantoniocarlos.wixsite.com/ouronegro.

‘Ouro Negro’ surgiu de uma proposta de trabalho acadêmico da disciplina ‘Produção de Vídeo’ do curso de Jornalismo da Universidade de Uberaba (Uniube). A professora responsável por orientar o documentário foi Celi Camargo, também coordenadora dos cursos de Comunicação. Também fazem parte da equipe o cinegrafista Lázaro Novais e o editor Fernando Queiroz.

“Lembrar do professor Antônio Carlos através desse documentário é mais que uma homenagem. É um registro de um homem que muito fez pela cultura uberabense. A história não pode ser esquecida. Esse material também ficará para as próximas gerações” diz a presidente da FCU, Jaine Basílio.

Segundo a diretora do documentário e estagiária de jornalista da FCU, Diandra Tomaz, o projeto tem grande significado. “O documentário é muito representativo justamente por apresentar ao mundo a narrativa de um homem negro que se entregou completamente à cultura em Uberaba. A cada pesquisa para o videodoc, a cada entrevista com pessoas que presenciaram todos os feitos do professor de perto, eu sentia que estava no caminho certo abordando essa história”, destaca.
O videodocumentário completo está disponível na rede social da Fundação Cultural: youtube.com/fundacaocultural.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://uberabapopular.com.br/.
Plantão
Atendimento
Envie a sua sugestão de notícia pelo PLANTÂO.