29/01/2019 às 11h28min - Atualizada em 29/01/2019 às 11h29min

Oportunistas da tragédia

[caption id="attachment_15256" align="aligncenter" width="624"]
Foto: Reuters[/caption]

Primeiramente eu gostaria de dizer aos revolucionários de plantão: Se vocês pensam que vão usar um momento de luto para atacar as pessoas de bem com as vossas temeridades, que sorrateiramente vocês passaram a chamar de “pensamento crítico”, tirem o cavalinho de vocês da chuva! Porque há uma imensidão de liberais aí fora que, assim como eu, vão preencher todas as lacunas que vocês deixarem no caminho.

Antes de qualquer coisa, a Vale passou por um processo de privatização, mas, no entanto, o Brasil ainda continua a ser o maior acionista da empresa. Como na imagem.

Vários órgãos estatais são acionistas da Vale, logo a nação responde pelos atos da empresa, ou seja, o Brasil ainda controla a Vale!

Por ser ‘privada’, o crime aconteceu?

Primeiramente, devemos lembrar que a estatal Petróleo Brasileiro S.A. (Petrobrás) já derramou milhares de litros de petróleo no mar e ninguém foi a público insinuar que isso aconteceu por ela ser uma “estatal” e que, por isso, a qualidade ou a segurança do serviço prestado foi ruim. Confira aqui. 

 Também devemos lembrar-lhes de que o programa Minha Casa Minha Vida, por meio da Caixa Econômica Federal já destruiu o sonho de milhares de famílias brasileiras, ao confiscar o imóvel dos cidadãos no caso de atraso de parcelas, sem garantir ao trabalhador brasileiro o reembolso de um mísero real e que ninguém foi a público insinuar que isso aconteceu por se tratar de um programa social “estatal”. Veja aqui. 

[caption id="attachment_15255" align="alignleft" width="300"]
Fonte: Vale[/caption]

Sabendo disso, sejamos sensatos, não existe qualquer relação entre uma coisa e outra, a não ser para quem precisa saciar o seu desejo interno de falar mal do presidente Bolsonaro ou do governador Zema, por pura necessidade de elevar um partido ou um viés político que nunca mais deixarão de ser odiados pelo povo Brasileiro. Então não, nenhum crime contra a humanidade e nenhum crime contra a natureza, que envolveu barragens de dejetos, vide desastre em Mariana e o recente desastre em Brumadinho, aconteceu pelo tipo da empresa em questão.

Todo crime acontece por uma (ou mais) irresponsabilidades e, como bem sabemos, “a responsabilidade não pode ser simplesmente dada ou direcionada a alguém, a responsabilidade sempre será um fenômeno adquirido por alguém”, assim assina Napoleon Hill (2015). Isso significa que existem pessoas que decidiram criar um serviço, nas projeções que foram assistidas, e que devem exclusivamente assumir os resultados dessa decisão. Não será um punhado de fanáticos políticos que vai apontar culpados ou errados, ainda mais num momento que, todos nós sabemos, aguça a criatividade das pessoas que não valorizam a simplicidade de “ter caráter”.  Para compreendermos os responsáveis, basta uma leitura livre de vieses políticos, sobretudo os que comungam do leninismo ou do stalinismo (filosofias dos pais do comunismo na URSS).

Outro fato que deixa claro que a Vale ainda está muito mais por ser uma empresa estatal e não uma empresa privada é o controle da empresa por parte do estado, como vemos neste link e por fim neste link.

Embrulha o estômago ver a esquerda tentando se promover com isso, essas pessoas não tem o mínimo de noção do ridículo, e não se importam nenhum pouco com as vítimas. Só querem usar a dor e o luto das pessoas e aproveitar uma tragédia dessas como oportunidade eleitoreira, vide:

Maria do Rosário (PT) Reinaldo Azevedo (Jornalista) Gleisi Hoffmann (PT)

Pela nossa liberdade!


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://uberabapopular.com.br/.
Plantão
Atendimento
Envie a sua sugestão de notícia pelo PLANTÂO.