11/12/2018 às 19h17min - Atualizada em 11/12/2018 às 19h46min

Filho de Chico Xavier desabafa: ele não tem importância para o poder público local

[caption id="attachment_14719" align="alignright" width="300"]
Casa de Memórias Chico Xavier[/caption]

A casa em que viveu o médium Chico Xavier, em Uberaba, abriga as suas memórias desde 5 de dezembro de 2002. Todos os cômodos estão cuidadosamente preservados e comportam fotos, roupas, mensagens, livros e a história de um dos mais importantes lumes do espiritismo.

Com média de visitação de mais 3 mil pessoas todo mês, a Casa de Memórias emprega três funcionários que fazem a recepção dos turistas, limpeza e conservação do local. “Noventa por cento dos visitantes são de fora”, explica Mônica Santos, uma das administradoras do museu.

O responsável pela Casa de Memórias é Eurípedes Humberto Higino dos Reis. O filho do médium transformou a casa do pai em museu pouco depois da sua morte e vem ampliando o espaço à medida em que as visitas aumentam e as necessidades também. “Nunca fiz isso aqui para mim. Meu pai pediu que eu fizesse o museu em 1996. De lá para cá, trabalho para manter viva a memória e proporcionar aos visitantes uma forma mais digna, com mais conforto para que eles saiam de suas cidades e venham conhecer a história do Chico. Além disso, guardar registros da doutrina, tão importantes para os espíritas”.

[caption id="attachment_14718" align="alignleft" width="300"]
Eurípedes lamentou frieza com a qual foi recebido ao tentar regularizar imóveis para ampliar museu[/caption]

Recentemente, Eurípedes negociou o imóvel que fica ao lado da Casa de Memórias, no Parque das Américas. Com a ampliação, feita com instruções técnicas do Corpo de Bombeiros, o museu ganhará banheiros adaptados para deficientes físicos, uma copa maior do que a atual para o lanche dos turistas e uma sala de mensagens. “Depois que o museu do Rio pegou fogo (Museu Nacional, no Rio de Janeiro, em setembro de 2018), a nossa preocupação é deixar tudo dentro do exigido pelas autoridades responsáveis. No novo espaço, o turista terá acesso a mais de mil mensagens psicografadas pelo Chico de próprio punho”, comemora Eurípedes.

Apesar da representatividade que tem Chico Xavier para Uberaba, dos esforços da família para manter a Casa de Memórias aberta e bem estruturada e, acima de tudo, continuar atraindo milhares de turistas para a cidade, Eurípedes se mostra insatisfeito com o poder público local. “Frieza. Foi isso que senti quando precisei deles (Prefeitura Municipal). Como se isso aqui não significasse nada. Como se não tivesse importância ou se fosse apenas um capricho meu”.

[caption id="attachment_14717" align="alignright" width="300"]
A multa paga está exposta na Casa de Memórias[/caption]

O herdeiro do médium contou que precisou vender os imóveis onde Chico Xavier mantinha as distribuições de alimentos, roupas e brinquedos, também no Parque das Américas, para comprar o imóvel que abrigará a ampliação da Casa de Memórias. Como as escrituras estavam desatualizadas, para concluir a venda foi necessário a regularização das edificações e dos terrenos junto à Prefeitura Municipal de Uberaba, mas, segundo Eurípedes, ele não sentiu interesse da prefeitura em ajudá-lo. “Paguei algumas multas, uma delas no valor de R$ 35.573,87. Acho que quando você paga um valor destes, no mínimo, você precisa ser orientado. Pediram para eu esperar a Câmara dos Vereadores votar uma lei que poderia tirar a multa. Eu não estava querendo tirar a multa. Eu tenho um prazo para pagar o imóvel que estou comprando para reformar e ampliar a Casa de Memórias, não podia esperar. Mas se eles quisessem, esse processo não teria levado quase três meses, como aconteceu”.

Ainda segundo Eurípedes, a única pessoa que se sensibilizou com a situação foi a Secretaria Adjunta da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo (SEDEC), Anne Florence Marie Roy Nóbrega. “Meu pai sempre dizia que não gostava de ser pesado para ninguém e ele nunca foi pesado para Uberaba. Pagou todos os impostos que tinha que pagar, cumpriu todas as suas obrigações de cidadão uberabense. Eu só queria concluir com mais facilidade e em tempo menor aquilo que eles me dificultaram ao máximo. A Ani foi a única que se preocupou, tentou me ajudar e agilizar os documentos para mim”.

Apesar da insatisfação, Eurípedes continua seguro do projeto de ampliação e reafirma que o interesse é receber melhor aqueles que acreditam na doutrina espírita e, principalmente, naqueles que confiavam e que queiram conhecer mais sobre Chico Xavier. “Meu pai amava esta cidade. Ele escolheu esta cidade para viver, trabalhar e ajudar”, finalizou.

A Prefeitura Municipal de Uberaba, através de nota, lamentou a situação e refutou a ideia de desvalorização da importância do médium. Enfatizou que reconhece e respeita Chico Xavier e tudo o que ele representa para a cidade. Informou ainda que “foi feito o que era possível e de competência da SEPLAN, inclusive com esclarecimentos das opções, dentre elas isenção ou mesmo desconto para a regularização do imóvel”. A nota consta ainda que o ocorrido será repassado à Chefia de Gabinete para formalização junto a secretaria.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://uberabapopular.com.br/.
Plantão
Atendimento
Envie a sua sugestão de notícia pelo PLANTÂO.