16/10/2018 às 10h46min - Atualizada em 16/10/2018 às 10h49min

Morre o jornalista Gil Gomes

Nesta terça-feira (16), o jornalista Gil Gomes faleceu aos 78 anos, após uma série de complicações de saúde. Ele foi levado em estado grave e desacordado para o Hospital São Paulo, localizado na zona sul da capital paulista, mas não resistiu.

Uma de suas últimas aparições foi no Domingo Show, da Record, em 2016. Na ocasião, ele declarou que sofreu muito no período que estava longe do trabalho. “Tanta coisa que vivi, senti, chorei. Sou chorão e quando choro eu me revolto. Passei os últimos seis anos sentado em uma poltrona, esperando a morte, mas agora voltei e estou feliz”, contou.

Especialista em jornalismo policial no rádio, Gil Gomes disse em entrevistas que chegou a ser preso mais de 30 vezes durante o regime militar. “Terminava o programa e a viatura da Polícia Federal vinha me buscar”, contou.

Rádio e jornalismo policial Paulistano nascido e criado na Mooca, Gil Gomes nasceu em 13 de junho de 1940. Além de jornalista era radialista e bacharel em Direito. Na juventude, ele sofria de gagueira e, para superar o problema, tentava imitar os locutores esportivos que ouvia pelo rádio. O método funcionou graças à própria força de vontade. Foi então convidado a ser locutor nas quermesses da igreja, quando descobriu que a comunicação era sua vocação. Abandonou assim a ideia de ser médico, como desejava o pai.

Na televisão, ele se destacou e foi bastante reconhecido pelo programa e pelo bordão ‘Aqui Agora’. O jornal diário era bastante popular no formato e na linguagem, onde Gil aparecia ao lado de Sônia Abrão, Celso Russomanno, Jacinto Figueira Júnior (o homem do sapato branco), Wagner Montes, entre outros.

No Aqui Agora, ele dava ênfase a reportagens sobre acidentes graves e crimes, onde teve um papel destacado: foi onde aprimorou o visual, a voz inconfundível e o gestual que caíram no gosto do grande público e serviram de inspiração para os imitadores dos programas de humor.

Em 2005, o comunicador afastou-se de alguns familiares, dos amigos e da profissão que tanto amava. Os quase 50 anos de carreira foram encerrados pelo mal de Parkinson.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://uberabapopular.com.br/.
Plantão
Atendimento
Envie a sua sugestão de notícia pelo PLANTÂO.