31/01/2012 às 20h45min - Atualizada em 31/01/2012 às 20h45min

Adeus, Mingo!

[caption id="attachment_508" align="aligncenter" width="300"]
Domingos Baroni[/caption]

Foi dada a largada. Campeonato Mineiro começou e, quando vi o que Uberaba Sport e América-To apresentaram em campo, engrossei o coro dos que defendem o fim dos Campeonatos Estaduais.

Medíocre. Até quando os torcedores terão que sofrer com disputas tão medíocres entre times montados no desespero? De 9, 1 poderá chegar ao topo: Campeão do Interior.

Argumentos. Plagiando o técnico do Grêmio, Paulo Autuori, desejo que “aqueles que comandam o futebol nacional deixem de ser escravos de alguns interesses".

Erros de hoje e sempre. A máxima “aprender com os erros” é desconhecida pelo Uberaba. Erros primários, que nem mesmo os times do Campeonato Amador cometem, são repetidos pelo clube, ano após ano.

BID. O volante Gabriel criticou, com toda razão do mundo, a ineficiência da diretoria na liberação do meia Thiago Marin e do atacante Marlon. Desde novembro, Marin era cogitado como reforço do clube. A confirmação aconteceu no dia 5 de janeiro, conforme matéria publicada no site oficial do clube. De lá para cá, 24 dias até a estreia no Campeonato Mineiro. Quase um mês para realizar a tal regularização. Se houve lerdeza no processo, é bom abrir os olhos. O Uberaba não é um time que se dá ao luxo de caminhar lentamente como se o banco de reservas estivesse recheado de estrelas.

Estatísticas. Desde que conquistou o acesso em 2007, o Uberaba perdeu o jogo de estreia três vezes. Em 2008, para o Cruzeiro, 4x0, em 2009, para o Ituiutba, 1x0 e este ano, para o América,  também 1x0. A vitória na estreia só aconteceu em 2010, contra o Ituiutaba. O Uberaba venceu o Boa por 3x0, fora de casa. Em 2011, o USC estreou com empate contra o América-MG, 1x1.

O quê? Entrevistei o atacante Clodoaldo após a partida e achei que falta humildade no jogador. Em momento algum ele assumiu a responsabilidade por perder, pelo menos, três gols. Por sua vez, o atacante preferiu parabenizar a equipe adversária pela atuação. Que atuação?!

Show de horrores. Para o técnico do USC, Nenê Belarmino, o América-TO praticou o anti-futebol. Veio a Uberaba só para se defender e impossibilitou as ações do USC. Deu um chute a gol e foi feliz na finalização. Devo lembrar que futebol é um jogo de resultados e, neste caso, o Uberaba perdeu 3 pontos, de bobeira, jogando em casa.

Fazia o quê? A torcida quer saber quais eram as profissões dos jogadores Tom, Bruno Moreno e Gabriel Davis antes de arriscar a sorte, jogando futebol no Uberaba Sport (Rimou!).

Conversa. Ao contrário do que fazem a maioria dos técnicos, como Vanderley Luxemburgo que desce para os vestiários antes dos jogadores, Nenê Belarmino preferiu trocar ideias quanto ao posicionamento da equipe com seu auxiliar, Rodrigo Santana, no intervalo do jogo. Calmamente, os dois gastaram mais de 5 minutos entre sair do gramado, passar pelo túnel e chegar ao vestiário.

And Oscar goes to...E o prêmio de pior jogador em campo, oferecido pela De Salto Alto vai para...Gabriel Davis! O cara foi um fanfarrão durante o tempo em que jogou. Parecia Mr. Bean com a bola nos pés.

Reforço. Após a vitória sobre o Guarani, o Villa Nova, próximo adversário do Uberaba, anunciou a contratação, por empréstimo, do atacante Thiaguinho, de 20 anos. O jogador foi revelado nas categorias de base dos Cruzeiro, clube com o qual foi campeão Sub-20.

Pragas. De longe, o gramado do Uberabão pode até estar um “tapete”, mas de perto está cheio de pragas! A ordem é acabar com as pragas na grama bermudas já!

Cremosinho! Imprensa que atua no gramado passou sede no Uberabão. Como é difícil comprar uma garrafinha de água no intervalo! O preço - R$ 3,00 -, salgado, dava ainda mais sede. Para alívio de alguns, o Cremosinho, vendido a R$ 0,50, estava com acesso fácil e garantido.

Torcida. Sem dúvida alguma o futebol só resiste ao tempo porque é movido pela paixão dos torcedores. Parabéns à torcida do Colorado, que mais um ano se mostra pronta para estar com USC pro que der e vier.

Atualiza gente! Até ontem, quando entrei no site oficial do USC para confirmar o nome do auxiliar técnico do clube, a ficha da comissão técnica ainda estava parada no tempo. Preparador físico: Maçarico, Gerente de futebol: Marcelo Araxá. Os títulos também não foram contabilizados. Falta a Taça Minas Gerais de 2010 e, detalhe, para mim vice-campeão não é título, é? Pois é... pois é... pois é...

Abraços amigos. O que tinha de pré-candidatos, a qualquer cargo, no Uberabão não estava escrito no gibi. Tinha político por todos os cantos. Em bando, eu diria. Partidos inteiros abraçando os amigos de ano eleitoral. É Paulo Autuori, repetindo o plágio: “que aqueles que comandam o futebol nacional deixem de ser escravos de alguns interesses”.

Adeus! A familia de Domingos Baroni comunicou o falecimento do ex-jogador, nesta segunda-feira. Mingo, como era chamado, jogou pelo Independente e Nacional, mas foi no Uberaba que o volante fez história. Lamentável perda para o futebol uberabense.

Campeão. Como treinador, Mingo conquistou o título da Taça Minas Gerais de 1980. O time campeão em cima do América formou com: Diron; Celso Roberto, Gilvan (Figueroa), Tim e Aldeir; Lindário, Vandinho Uberaba e Donizete Cabeça; Ílton, Netinho (Caiaba) e Serginho.

Reconhecimento. É inevitável, a morte alcança todas as pessoas. Fica o puxão de orelha para que o reconhecimento destes jogadores, que ajudaram a escrever a história de Independente, Nacional e Uberaba, seja dado a eles enquanto estão vivos. Em 2009, quando tive a honra de conhecer o Mingo, não ser reconhecido pelos clubes, após anos de história, era uma das suas maiores queixas. A mesma lamentação de Tati, Sapucaia, Diron, Celso Roberto e tantos outros.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://uberabapopular.com.br/.
Plantão
Atendimento
Envie a sua sugestão de notícia pelo PLANTÂO.