28/09/2016 às 11h46min - Atualizada em 07/09/2018 às 12h44min

UBER: problema ou solução?

É ilegal. A Legislação Municipal não permite a atuação do Uber na cidade, mas há quase dois meses, o famoso e polêmico aplicativo de transporte está em operação em Uberaba. Ainda não se sabe quantos carros estão cadastrados.

[caption id="attachment_2155" align="alignright" width="169"]
Solicitação do serviço, ontem, às 20h21.

Solicitação do serviço, ontem, às 20h21.

Solicitação do serviço, ontem, às 20h21.[/caption]

Na noite desta terça-feira (27), a reportagem do Uberaba Popular utilizou o serviço. Por questões de segurança, as identidades dos motoristas serão preservadas.

Às 20h21, acessamos o aplicativo para solicitar um carro na Rua Uberlândia, no bairro São Benedito. Neste horário, três carros estavam disponíveis próximos ao local.

A espera foi de nove minutos. Pelo aplicativo, fomos informados que o motorista estava chegando ao endereço solicitado.

O motorista não escondeu que o serviço ainda não foi regularizado na cidade, mas enalteceu a empresa pelo suporte que tem dado aos motoristas. “Tivemos um carro apreendido. A multa foi quase o valor do carro e a empresa pagou tudo. Em menos de 24h o carro estava liberado”.

[caption id="attachment_2157" align="alignleft" width="169"]
Aplicativo mostra trajeto do motorista

Aplicativo mostra trajeto do motorista

Aplicativo mostra trajeto do motorista[/caption]

Ainda segundo o motorista, o Uber está remunerando os motoristas para incentivá-los a cadastrar os veículos e ficar disponíveis no aplicativo. “Eu recebi no final de semana R$ 600,00 para ficar online. E neste começo a empresa está remunerando a gente com este valor, mesmo sem fazer nenhuma corrida”.

Em contato com o Uber, em Belo Horizonte, fomos informados que o serviço não precisa de autorização municipal ou estadual para funcionar. “O que garante o seu funcionamento é a lei federal de transporte privado. Regulamentações municipais só valem para transporte público, neste caso táxi e ônibus”, explicou Eduardo Fontinelli, motorista e divulgador do Uber no Triângulo Mineiro.


O serviço. Quem espera solicitar um carro pelo Uber e pensa que chegará uma limusine preta com champanhe e aperitivos para buscá-lo, está enganado.

Os carros em operação pelo aplicativo na cidade são populares. O que atendeu a nossa reportagem, especificamente, não tinha ar condicionado.

[caption id="attachment_2161" align="alignleft" width="300"]
E informa quando o motorista chega ao local.

E informa quando o motorista chega ao local.

E informa quando o motorista chega ao local.[/caption]

O motorista lembrou que o ponto forte do Uber é o preço e a segurança. “O usuário paga por uma corrida curta em torno de R$ 6,00, menos que um mototaxi. Sem contar que transmitimos segurança aos passageiros, porque não corremos. Nossas viagens são realizadas sempre dentro do tempo estabelecido, sem atrasos. E, para os motoristas é muito seguro também, já que a gente sabe quem é o cliente e o Uber sabe onde estamos a todo o tempo”.

Vale lembrar que os motoristas do Uber não são motoristas profissionais. Geralmente, são pessoas que querem uma segunda fonte de renda e cadastram seus veículos para prestar serviço pelo aplicativo.

A viagem foi tranquila. As tradicionais balinhas foram oferecidas pelo motorista.


[caption id="attachment_2156" align="alignleft" width="169"]
img_0423

img_0423

Após a viagem, o aplicativo emite um recibo com todas as informações do serviço.[/caption]

Pontos fortes Agilidade: o tempo de espera foi satisfatório. Se precisar fazer um novo trajeto, o motorista pede para recalcular a rota, sem transtornos e sem surpresas nos valores.

Preço. Por duas viagens, de aproximadamente 6km e duração de 20 minutos, pagamos R$ 12,14. O serviço de táxi, que tem tarifa única na cidade, custa R$ 18,00.

Transparência. Ao final da corrida, o aplicativo envia recibo por e-mail com todas as informações da viagem: valor pago, mapa do trajeto, duração e nome do motorista, com sistema para o passageiro avaliar o serviço prestado.

Pontos fracos: Trajeto: Como os motoristas do Uber não são profissionais e o serviço está sendo implantado, constatamos que o motorista ainda não está familiarizado com as ruas e bairros da cidade. Mesmo trabalhando o tempo todo com o GPS, a experiência de um taxista em atividade poderá fazer a diferença para se chegar a alguns locais.

Desconhecidos. Qualquer pessoa pode cadastrar um veículo no Uber. As informações do motorista e do veículo são levantadas pela empresa e são privadas. O motorista que nos atendeu disse que não precisou enviar nenhum atestado de antecedentes criminais. No site do Uber, a proposta é tentadora para novos cadastros como Ganhe Dinheiro, Dirija Quando Quiser e Sem escritório, sem patrão.


O que dizem os taxistas?

O desconforto dos taxistas com a implantação do Uber existe. Mesmo assim, muitos esperam que o município impeça o serviço em Uberaba. Hoje são 213 permissões na cidade.

[caption id="attachment_2165" align="alignleft" width="279"]
João Gilberto

João Gilberto

João Gilberto[/caption]

Para o taxista João Gilberto Rezende, de 54 anos, os taxistas, que já enfrentaram queda no movimento com a legalização do serviço de mototaxi, agora vão sofrer as consequências de um novo concorrente. “Vai atrapalhar o serviço de táxi que é regulamentado em todo o país. O Uber não tem despesa com permissão e taxas. Para nós, até a carteira de motorista temos que pagar o dobro por ser remunerado. Se tivermos devendo R$ 1 de IPTU para a prefeitura a gente não pode rodar e ainda sofremos multas altíssimas. A permissão de um táxi hoje está em torno de R$ 150 mil. Se a fiscalização pega a gente sem a permissão, a multa é de R$ 3 mil. O que vamos fazer? Só se a gente puder cadastrar o táxi no Uber, pode?”.

[caption id="attachment_2166" align="alignright" width="265"]
Airton

Airton

Airton[/caption]

Airton é aposentado e tem 68 anos. Ele está há cinco anos na praça e reclama que a Guarda Municipal e a Polícia Militar trabalham contra os taxistas. Se a gente fica em fila dupla, eles multam na hora. E esse Uber que tá aí? Sem identificação, sem nada. Quem vai multar?

Os taxistas reclamaram ainda que os carros clandestinos, em Uberaba, já estão atrapalhando o trabalho do serviço legalizado. “Eles fazem corridas de R$ 15,00. Têm acesso à festas, bares, boates. Entram lá e oferecem o serviço mais barato, enquanto a gente tem que ficar do lado de fora esperando o cliente”, lamentou Airton Os permissionários do serviço de táxi pagam R$ 78,12 para renovar a permissão, que é anual. Já os condutores desembolsam R$ 34,72. A vistoria nos veículos é feita por empresa particular e pelo serviço é cobrado R$ 75,00.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://uberabapopular.com.br/.
Plantão
Atendimento
Envie a sua sugestão de notícia pelo PLANTÂO.