18/07/2017 às 20h26min - Atualizada em 18/07/2017 às 20h26min

Servidor Público Municipal fica sem reajuste salarial em 2017

Ficou para depois o reajuste salarial dos servidores públicos municipais. O anúncio foi oficializado nesta terça-feira (18) após reunião entre a equipe econômica da Prefeitura Municipal de Uberaba e as diretorias dos sindicatos dos Educadores da rede municipal de ensino e dos Servidores Municipais.

As reivindicações dos servidores foram negadas pelo governo. Entre elas, o reajuste de 23% nos salários, sendo 5% de aumento real mais a variação da inflação de 2015 e 2016, que totalizou 18,15%, e o aumento de R$ 500 para R$ 620 no valor do tíquete.

Para amenizar as perdas da categoria, o governo propôs a recomposição salarial. O índice acumulado é de 10,5%, mais a inflação acumulada de 2018 pagos em 2019 e deve ser reposto em duas parcelas nos próximos dois anos.

“Estamos fazendo uma proposta de recuperação das perdas dentro da perspectiva da economia e do princípio da responsabilidade com o salário em dia. Não podemos assumir um compromisso para esse ano, que ainda é um ano de ajustes em função de tudo aquilo que o país passa e que impacta a prefeitura. Mas com o planejamento adequado que estamos fazendo e as reduções de custos e melhoria da gestão, nos permite vislumbrar um futuro melhor em que primeiro lugar as perdas serão equacionadas. A partir daí, se a economia melhorar, podemos avançar para outro momento de negociação. O importante é primeiro planejar e recuperar o poder de compra dos educadores”, explicou o prefeito Paulo Piau.

A proposta do município será discutida pelos servidores nesta quarta-feira (19), em assembleia geral convocada pelo Sindicato dos Servidores Públicos Municipais (SSPMU).

Segundo o secretário da Fazenda, Wellington Fontes, o reajuste total poderá atingir mais de 19% em dois anos, um impacto na folha de R$ 52 milhões.

Recomposição das perdas salariais. O 1.º artigo da Constituição dispõe que a República tem como fundamento “a dignidade da pessoa humana” e “os valores sociais do trabalho”. Isso garante aos trabalhadores "reajustes periódicos que lhe preservem o poder aquisitivo".

Ao tratar da administração pública, a Constituição expressa que a remuneração dos servidores públicos tem “assegurada a revisão geral anual, sempre na mesma data e sem distinção de índices”.

Neste caso, a recomposição salarial significa a aproximação do valor nominal ao valor real do salário, ou seja, a recomposição do poder de compra desse mesmo salário. Assim, se o salário do servidor é de R$ 1 mil e a inflação, calculada para o período sem aumento salarial, chega a 10,5%, a reposição será de R$ 105,00. Entendendo-se que, o que o trabalhador comprovava no ano anterior com R$ 1 mil está 10,5% mais caro.


Link
Notícias Relacionadas »
Plantão
Atendimento
Envie a sua sugestão de notícia pelo PLANTÂO.