20/06/2017 às 12h00min - Atualizada em 20/06/2017 às 12h00min

Equipe uberabense conquista sete medalhas no Brasileiro de Kickboxing

A equipe uberabense Ilton Fighters Team participou neste fim de semana do Campeonato Brasileiro de Kickboxing adulto e sub-17, em São Paulo-SP. Uberaba foi representada por nove atletas, sendo que cinco ganharam medalhas. No total, foram sete pódios: quatro ouros, uma prata e dois bronzes.

Wagner Aparecido foi bronze na modalidade K1, categoria até 90 kg. Adriana Rodrigues também ficou com o bronze na K1, categoria até 61 kg. Mayumi Almeida foi vice-campeã na K1 categoria + de 70 kg.

Maurício Junior e Yasmin Matias ganharam dois ouros cada. Maurício foi campeão nas modalidades Kick Light e Light Contact, categoria até 84 kg. E Yasmin sagrou-se campeã nas mesmas modalidades, na categoria até 65 kg.

O campeonato foi classificatório, para os faixas azul, marrom e preta, para o Mundial que acontece em outubro em Budapeste, na Hungria. Assim, Yasmin Matias, que é faixa azul, garantiu sua vaga.

A classificação geral do Brasileiro é por estados e, contando com as medalhas de Uberaba, Minas Gerais ficou em quarto lugar.

Grana. O técnico Ilton Donizete comemora o bom desempenho da equipe, ao mesmo tempo que lamenta a falta de incentivo para a modalidade. “Muitos atletas não participaram devido ao lado financeiro”, comenta.

Bicampeã brasileira no Kick Light e tricampeã no Light Contact, Yasmin Matias, claro, estava radiante, mas não esqueceu as dificuldades para competir. A atleta, para arcar com as despesas, conta com patrocinadores, mas também tem que “se virar”. “Fizemos uma galinhada para vender e arrecadar dinheiro”, lembra.

Agora, vem mais uma luta, conseguir recursos para o Mundial. As medalhas do Brasileiro no peito são um estímulo para a batalha. Na competição nacional, foram cinco combates. “Só tenho a agradecer a Deus primeiramente, a minha ‘supermãe diva’ que sempre me apoia, meus familiares, amigos, ao meu mestre Ilton e a todos os meus patrocinadores e colaboradores, que acreditam em mim”.

Também campeão brasileiro, Maurício não se classificou para o Mundial por ser menor de idade. “Eu faço 18 anos antes; um ano o Mundial é para menores, e no outro para maiores”, comenta Yasmin, que no ano passado, para participar do Mundial na Irlanda, fez uma “vaquinha” virtual.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://uberabapopular.com.br/.
Plantão
Atendimento
Envie a sua sugestão de notícia pelo PLANTÂO.