21/09/2016 às 13h06min - Atualizada em 21/09/2016 às 13h06min

Eventos internacionais: qual o legado para Uberaba?

[caption id="attachment_1713" align="alignright" width="300"]
sam_3640

sam_3640

Além dos números, Medi­na destaca que Uberaba está na Liga Nacional de handebol, com uma equipe puramente da cidade.[/caption]

Uberaba se tornou uma boa cidade para sediar eventos es­portivos, incluindo de nível na­cional e internacional, como o Mundial Junior Masculino de Han­debol, o Grand Prix de Futsal e duas partidas decisivas da Liga Nacional de Futsal, com o Orlân­dia mandando aqui seus jogos da semifinal, contra o Corinthians, e da final, contra o Carlos Barbosa.

Mas a pergunte é: o que ficou de legado no esporte para Ube­raba, após sediar esses grandes eventos? Com a palavra o presi­dente da Fundação de Esporte e Lazer, Luiz Alberto Medina. “Os grandes eventos vieram apresen­tar o esporte de alto rendimen­to, o esporte de alto nível, como incentivo para os jovens e crian­ças defenderem a sua pátria, ou até mesmo a sua cidade”.

A afirmação de Luiz Medina vem em cima de números que a Funel mostra. Como a Copa Futsal Uberaba, que em 2015 teve um total de 204 equipes inscritas e nesse ano foram 248 equipes (nas categorias adulto, feminino e de base). Nos Jogos Escolares de Uberaba, em 2015 foram aproximadamente 6 mil atletas, já nesse ano estão ins­critos próximos de 7 mil atletas.

Além dos números, Medi­na destaca que Uberaba está na Liga Nacional de handebol, com uma equipe puramente da cidade. Foi um dos legados do Mundial que teve na cidade. A modalidade cresceu também na procura dos jogos estudantis e nos treinamentos das esco­las. A procura do futsal aumen­tou ainda mais, muito pelo fato do ídolo Falcão ter participa­do do Grand Prix em Uberaba.

Crise afetou na base. Mesmo com o aumento de interesse dos jovens pelas modalidades, as ca­tegorias de bases sofreram com a crise financeira que atingiu o pais. Em 2015, Uberaba disputou a Liga Paulista nas modalidades de vôlei e basquete, ambos no masculino e feminino, nas ca­tegorias de base. Luiz Medina explicou que, esse ano não con­vinha financeiramente a cida­de disputar novamente, já que as taxas de inscrições e o gasto com os deslocamentos subiram.

Mesmo não disputando essas competições, as equipes man­tém as rotinas de treinos, pois participam de torneios regionais e campeonatos locais. “Mas o objetivo é voltar a disputar tudo que estávamos disputando, as equipes continuam”, afirma Me­dina. Prova disso são as equipes de base da cidade que foram para Lavras, para a disputa dos Jogos de Minas, no voleibol fe­minino e masculino, basquete masculino e feminino, handebol masculino, futsal masculino e feminino. “O ano eleitoreiro e a questão financeira fizeram com que o esporte não desenvolvesse como tinha que ser. O profissio­nal de Educação Física e os atle­tas precisam entender que o ano foi atípico”, relata Luiz Medina.

Novidades. A Funel fechou um grande evento de skate, no Piscinão, em outubro, com par­ticipantes uberabenses e do Brasil inteiro. É uma exigência que sempre tenha represen­tantes de Uberaba em com­petições realizadas na cidade, como foi feito no campeonato mineiro infanto-juvenil de vôlei.

Hoje a Funel trabalha com 29 modalidades, incluindo artes marciais e ginásticas (artística, rítmica, acrobática) nos Cemeas e nas quadras e escolas. Medina deixa claro que está sendo feita uma reestruturação no espor­te de Uberaba e se trabalhando com a base. “Não se gasta di­nheiro para contratar jogadores de fora para montar equipes. O grande objetivo é manter as equipes de Uberaba, mesmo não ganhando grandes títulos, mas que seja formado por atle­tas de Uberaba. Isso vale para o futebol profissional do ano que vem. A Prefeitura vai aju­dar, se os clubes derem chances para atletas de Uberaba”.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://uberabapopular.com.br/.
Plantão
Atendimento
Envie a sua sugestão de notícia pelo PLANTÂO.