20/09/2016 às 20h59min - Atualizada em 20/09/2016 às 20h59min

Roubos aumentam 11% em Uberaba

Uberabenses vivem a sensação de insegurança. Impossível não dar importância à quantidade de crimes, de diversas naturezas, que acontecem na cidade. Por outro lado, os órgãos de segurança pública anunciam investimentos na área, como a ampliação no número de policiais militares e a chegada de 40 novas viaturas.

[gallery link="file" size="medium" columns="6" ids="1667,1668,1672,1669,1671,1670"]

O Uberaba Popular entrevistou o comandante do 4º Batalhão da Polícia Militar, tenente-coronel Waldimir Soares Ferreira. Para ele, a falta de políticas públicas e o atual momento econômico do país encabeçam os problemas que impossibilitam o trabalho da polícia. Ele não acredita que a cidade esteja em situação de emergência e desmente boatos de que falta combustível para que as viaturas façam o patrulhamento adequado, principalmente, nos finais de semana.

UP - Uberaba cresceu e com este crescimento vieram os problemas sociais, entre eles, o mais preocupante é a segurança. Hoje, dia 9 de setembro, por exemplo, no release da PMMG enviado à imprensa, tem 14 ocorrências de roubo e, na maioria das vezes com uso da violência. Em 2 anos e meio que o senhor assumiu o comando, dá para fazer um balanço do crime da cidade? O senhor está tão preocupado quanto a população? WSF – Claro que estou, mas é preciso também considerar as circunstâncias deste aumento no número de crimes, como o desemprego. Tivemos uma explosão no mercado habitacional em Uberaba, muitos trabalhadores de outros estados vieram trabalhar aqui e, com eles, vieram todo tipo de pessoas. Sabemos também que este aumento não foi isolado. O país inteiro está vivendo este mesmo problema com índices altíssimos de violência.

UP - Diante dos números elevados, houve uma mudança de estratégia? Ações que possam reduzir esses números? WSF – Sim. Criamos a Rede de Vizinhos Protegidos. Com a internet e a participação da população conseguimos coibir as ações dos bandidos. Também colocamos em funcionamento o Olho Vivo, que já está dando resultados positivos com a captura de delinquentes e evitando a prática de roubos e outros crimes mais graves. Diante das dificuldades, estamos caminhando.

UP – Em 2014, quando o senhor assumiu o comando, a estimativa era de que faltavam 230 homens para cobrir o policiamento da cidade. Hoje, qual seria o número satisfatório? WSF – Quanto mais, melhor. Até abril de 2017 deverão ser integrados à corporação 208 novos policiais. Não é o número que precisamos, mas é bem melhor do que o que temos.

UP – Em uma das Redes de Vizinhos Protegidos, policiais militares relataram a falta de combustível para as viaturas rodarem e alegaram que nos finais de semana, o patrulhamento é reduzido chegando a ficar com apenas seis viaturas. Até que ponto esses relatos são verdadeiros? WSF – Não são verdadeiros. Não falta combustível para as viaturas.

UP – E quanto ao patrulhamento nos finais de semana? WSF – Temos 30 viaturas disponíveis nos finais de semana. O número é reduzido porque os comércios estão fechados, os alunos não têm aulas. Há uma diminuição da necessidade.

UP - Quantas viaturas rodam diariamente? WSF – A frota é composta por 80 carros e 40 motos. Não conseguimos colocar tudo isso na rua por falta de homens na corporação. Mas sempre colocamos o máximo que podemos.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://uberabapopular.com.br/.
Plantão
Atendimento
Envie a sua sugestão de notícia pelo PLANTÂO.