31/03/2017 às 16h29min - Atualizada em 31/03/2017 às 16h29min

Homem que se auto intitulava “juiz” é preso por estelionato

Joviano André da Silva, 46 anos foi preso na manhã desta sexta-feira (31), na casa em que vivia com a família na Vila Militar, em Uberaba.

A prisão ocorreu durante a Operação Arbitral, realizada em conjunto entre as polícias civil de Frutal e Uberaba.

Segundo apontam as investigações,  Joviano que é de Uberaba, se aproximou de membros de uma igreja em Frutal, a 140 Km, e se apresentou como “juiz arbitral” ostentando que tinha influência e bom relacionamento junto a outros juízes do Brasil. Para enganar as famílias, apresentou um documento como sendo um mandado de prisão para uma das pessoas  do grupo por conta de uma dívida comercial . E foi aí que o homem que tem segundo grau completo e se intitulava juiz, entrou em ação

A polícia diz que para resolver a situação da pessoa, Joviano pediu dinheiro: R$ 67 mil. As vítimas caíram no golpe e pagaram a quantia, acreditando que teriam uma solução.

“Ele estava captando recursos dizendo que conseguiria retirar mandando de prisão, tentando obter vantagens usando esse título de juiz”, explicou o delegado chefe do 5º Departamento de polícia civil, Heli Andrade  .

Em janeiro desse ano, a 14ª Subseção da Ordem dos Advogados do Brasil, em Uberaba, já havia denunciado a atuação do falso juiz na cidade. Em novembro do ano passado ele montou um Tribunal Arbitral em um imóvel no bairro Mercês e segundo as denúncias, cobrava pelos serviços. Usava inclusive um carro plotado.

De acordo com o presidente da OAB no município, Vicente Flávio Monteiro, Joviano fazia o exercício irregular da profissão. “Arbitragem é um método alternativo de solução de conflitos, uma atividade privada e são as partes envolvidas que escolhem se querem ou não arbitragem e ele estava recrutando clientes,  chamando as pessoas e dando até consultas jurídicas. Ele não é advogado e nem tem qualificação para ser árbitro, que é um especialista na área respeitado no ofício e naturalmente é muito difícil alguém não ter curso superior e ser árbitro”.

Joviano negou que tenha cometido qualquer crime e disse que a justiça vai provar sua inocência.

As investigações continuam.  Foram apreendidos uma caminhonete e documentos. Apontado como estelionatário, Joviano foi levado para o presídio de Frutal. A polícia pede que quem tiver sido vítima do golpe registre a ocorrência.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://uberabapopular.com.br/.
Plantão
Atendimento
Envie a sua sugestão de notícia pelo PLANTÂO.