17/09/2016 às 22h16min - Atualizada em 17/09/2016 às 22h16min

Festival literário em Araxá deve atrair mais de 15 mil pessoas

Prestes a acabar, o FliAraxá já deixa saudades nos leitores assíduos.  Com encerramento neste domingo (18), o Festival Literário de Araxá faz em cada detalhe, com que o leitor dê uma paradinha para ler. A estudante de 16 anos Julia Fernandes, se encantou com os bancos, todos com fragmentos de textos. “Acho que ler transporta a gente para outro mundo, onde podemos ser o que quisermos”, disse.

00025-mts_snapshot_00-08_2016-09-17_09-21-14

00025-mts_snapshot_00-08_2016-09-17_09-21-14

Esse ano o espaço montado na Fundação Calmon Barreto, para receber mais de 15 mil pessoas em 5 dias de Festival,  abordou o tema: “ O Amor, a Leitura e as Diferenças”, que propõe uma reflexão sobre intolerância. A aposta é usar a leitura na mediação de conflitos. A quinta edição do Festival Literário reúne setenta convidado, entre eles,  grandes nomes como a autora best seller em livros infanto-juvenis Paula Pimenta, a jornalista Miriam Leitão, e o escritor e filósofo Mario Sergio Cortella. A atriz Letícia Sabatella se apresentou com o musical “Caravana Tonteria”, trazendo um repertório de compositores que vão do jazz ao flamenco. No centro do Festival, a livraria oferece  mais de 19 mil exemplares.
00048-mts_snapshot_00-05_2016-09-17_09-22-15

00048-mts_snapshot_00-05_2016-09-17_09-22-15

Num dos cantos da livraria, Nilda Fernandes Caldeira apreciava uma fábula. Aos 69 anos, ela se orgulha de ter participado de todas as edições do FliAraxá. “Venho e gosto de ler antes de dar os livros para meus filhos e netos, a leitura distrai e nos faz enxergar outras coisas”, contou a aposentada. Um dos encontros mais requisitados provocou uma fila gigantesca e atraiu pessoas de todos os lugares para ouvir Mario Sergio Cortella que, entre os assuntos, falou sobre o momento febril de mudanças no país. “ Mudar é uma das maneiras de fazer com que a gente cresça numa direção que não estamos acostumados; ás vezes nos desequilibra, mas nos leva para algum lugar, por isso a leitura também serve para produzir mudança, aliás um livro que não produz nenhuma mudança, de nada serve”, filosofou.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://uberabapopular.com.br/.
Plantão
Atendimento
Envie a sua sugestão de notícia pelo PLANTÂO.