08/02/2017 às 21h17min - Atualizada em 05/09/2018 às 16h18min

Nós somos a palavra: Ondaka!

Na língua Umbundu de Angola, "Ondaka" significa "Palavra", e foi através dela que mais de 60 pessoas se reuniram e participaram da primeira edição Slam de Poesias de Uberaba no último sábado, no espaço Inventaria.

Nascido em Chicago, nos EUA, e praticado por mais de 60 países, os Slam's são encontros de poesias faladas que acontecem geralmente em forma de competição mediante o voto de um júri popular escolhido pelo próprio público. A ideia central é dar voz e expressão ao Slammer (o poeta participante), que munido da palavra, performa sua poesia autoral por meio de regras básicas escolhidas pelo evento: não haver acompanhamento musical, figurinos e adereços; haver notas de 0 a 10 sobre 3 poesias de dez segundos cada e realizadas em três rodadas para descobrir o vencedor. Mas o fato é: o público de diferentes idades e gerações, de diferentes tribos e cores, de diferentes estrofes, olhares e sonetos, foi o seu real vencedor.

O idealizador do Slam Ondaka, Alessandro Dornelos, conta com experiência e empoderamento com a palavra já como MC ao longo de 20 anos e também conta ao UP que a formulação do evento através de suas regras e formatações ocorreu com o apoio do criador do Slam de poemas curtos, Daniel Minchoni (SP), Roberta Estrela D´Alva do Zap Slam e do Rogério Coelho do Slam Clube da luta (BH). Pronto para finalizar e trazer o Slam à tona, Alessandro ainda conta: "Aí foi procurar lugar, divulgar evento, criar página na rede social. Sempre com a ajuda da minha esposa Renata Reis.". O evento em Uberaba foi organizado em parceria com o Sebo da Jozi, Inventaria Espaço Studio de Ideias e Gaia Gastronomia.

O Slammaster Alessandro, mestre do evento, convidava o público a verbalizar a "Ondaka", pois seu significado "palavra" também mostra o poder da poesia como transformadora social, algo belamente notado em seus 15 participantes da  competição e demais poetas, com a apresentação crítica e engajada da Trupe RD2 do Residencial 2000,  causaram um estrondo poético de intensidade, questionamento e poder ao abordar temas como preconceito, opressões políticas, direito e desigualdade social, ou mesmo empoderamento (na ótica de diversos temas) e sentimentos (esses muitos os quais a gente que é humano tem), ao longo de cerca de 4 horas. Este tempo foi pouco para tanta riqueza e pluralidade cultural do Slam Ondaka. E, portanto, não foi à toa o anúncio de sua segunda edição no dia 10 de março, na Biblioteca Municipal de Uberaba, às 19h, e, assim como em sua primeira edição: gratuito!

Eventos como o Slam Ondaka, mostram à Uberaba a importância da inclusão social e também, por que não, cultural. Propor a um público tão diverso e culturalmente plural a arte da poesia é conceder voz e tons ao que precisa ser ouvido e coletivamente transformado.

A interação entre poesias e pessoas concede trocas e focos que, muitas vezes, em nosso cotidiano tão corrido, precisa de um novo olhar sobre o que passa desapercebido, e assim, criar equilíbrio através daquilo que nos é dado como arma e como escudo: a palavra e a união.

[td_block_video_youtube playlist_title="" playlist_yt="AmY23OAmuZU" playlist_auto_play="0"]


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://uberabapopular.com.br/.
Plantão
Atendimento
Envie a sua sugestão de notícia pelo PLANTÂO.